quarta-feira, 16 de junho de 2010

Capítulo XVI - Temperatura

Nesses dias de frio, quando a gente menos espera, o sangue esquenta - e a gente lembra que é humano (e isso é bom).

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A Máquina

Os mecanismos verdadeiros estão espalhados pela rede orgânica de intenções, cada qual mais egoísta do que o outro. Assim não percebem que contribuem eficientemente para um único objetivo, que poderia ser o seu próprio, se existisse um. Mas não existe.

- Quer saber? Acho que eu devia seguir os meus instintos.

Mas meus instintos me dizem exatamente para seguir meus instintos - e eu sigo - então eu chego a um beco sem saída, e meus instintos são extintos exatamente como eu havia suposto.

- E que tal olhar mais de perto?

Teremos então seis bilhões de ideias convencidas de que são seres reais, cheios de mensagens e desejos, carnavais e comemorações de aniversário. Há também o conjunto delas, e este pensa com um cérebro multicultural ainda mais arrogante - afinal, "Não há nada além", diz ele.

- E que tal olhar mais de longe?

Veremos a neblina dos Três Diamantes, vagas notas de rodapé da História do Começo e do Final, que na verdade nunca foi escrita, mas já foi reescrita várias vezes.

A Máquina é o seu próprio combustível, acho.